top of page

Chapada das Mesas



Inicialmente ouvimos falar da Chapada das Mesas durante a nossa viagem aos Lençóis Maranhenses. Foi comentado pelo guia que nos acompanhava, fazendo propaganda da Chapada por se tratar do mesmo estado que os Lençóis, o Maranhão.

Sugestão esta que também foi muito elogiada por um casal de ecoturistas (que como nós adora aventuras) enquanto esperávamos para mergulhar no Abismo Anhumas, em Bonito – MS.

“O Parque Nacional da Chapada das Mesas tem formações geográficas de arenito, de cerca de 70 milhões de anos e que podem atingir por volta de 400 metros de altura e é de extrema exuberância com suas montanhas, cachoeiras, rios e lagos saltam aos nossos olhos e proporcionam uma experiência incrível.

A Chapada das Mesas fica no sul do Maranhão, já na divisa com o Tocantins.

Distante cerca de 860 quilômetros da capital São Luís e localizado às margens do Rio Tocantins, o Parque Nacional da Chapada das Mesas foi criado em 2005 para preservar a biodiversidade dos biomas brasileiros do Cerrado, Caatinga e Amazônia.” Internet.



E lá fomos nós para Carolina - MA, cidade base para conhecer a Chapada. Nosso voo saiu do Rio para Imperatriz via Brasília, dia 12 de agosto de 2016, sexta-feira. Infelizmente somente a TAM operava este voo diariamente (Rio X Imperatriz) e pagamos quase 2 mil reais pelas duas passagens mesmo com dois meses de antecedência. Compramos o pacote abaixo, na Cia do Cerrado, site: https://ciadocerrado.com.br/roteiro-5-dias/

1º dia – IMPERATRIZ – CAROLINA 2º dia – PARQUE NACIONAL DA CHAPADA DAS MESAS – CACHOEIRAS de SÃO ROMÃO e PRATA

3º dia – ENCANTO AZUL, POÇO AZUL, CACHOEIRA DE SANTA BÁRBARA 4º dia – COMPLEXO PEDRA CAÍDA + PORTAL DA CHAPADA DAS MESAS 5º dia – CAROLINA – IMPERATRIZ


ROTEIRO DETALHADO

1º DIA – IMPERATRIZ – CAROLINA – Recepção no Aeroporto de Imperatriz – Saída as 16h00 – Traslado Imperatriz – Carolina (220 km) – Acomodação na pousada do Lajes. – Noite livre


2º DIA – Parque Nacional da Chapada das Mesas – CACHOEIRA DE SÃO ROMÃO e CACHOEIRA DA PRATA  Após o café da manhã, sairemos com destino às Cachoeiras de S. Romão e Cachoeira da Prata. O percurso em veículo 4×4 dura aproximadamente 3 horas. Uma breve caminhada nos leva à primeira cachoeira: São Romão, localizada no rio Farinha, um afluente do rio Tocantins. Um grande poço formado por seus 25 metros de queda é ideal para deliciosos banhos. Chegamos até sua cortina, onde jatos d´água massageiam nossas costas (possível somente no período que não chove). Aqui, tempo para repôr as energias e após o almoço no retorno para Carolina visitaremos a Cachoeira da Prata, conjunto de três quedas que caem em uma ampla área, formando mais um cenário maravilhoso para fotos. Revoadas de andorinhas (ao nascer e por-do-sol) tornam o cenário ainda mais encantador. Retorno previsto para as 16:00h e chegada à pousada por volta das 18:00h. Almoço no atrativo (não incluso). Noite livre


3º DIA – POÇO AZUL /ENCANTO AZUL/ CACHOEIRA DE SANTA BÁRBARA – Após o café da manhã, seguiremos por rodovia federal rumo ao município de Riachão. Depois de cerca de 1 hora e 40 min de traslado, chegaremos no “Encanto Azul”, local de uma beleza impar e digno de cenário de filme. Uma pequena trilha sob madeira, para minimizar o impacto ambiental, com cerca de 100 metros de descida em um cânion com mata fechada nos leva a esse paraíso, lugar encantador com uma piscina natural de águas transparentes e azuis que brotam das rochas, com profundidade variada chegando a 6 m em determinados pontos e temperatura agradável (22 C)  o ano todo, ideal para flutuação e observação das várias espécies de peixinhos.

Retornamos para o almoço (não incluso) no Complexo o Poço Azul e em seguida vamos para a Cachoeira de Santa Bárbara, um dos maiores saltos da Chapada das Mesas com 76 metros de altura e um delicioso poço para banho de cor verde esmeralda. O último lugar a ser visitado é talvez o mais belo de todos: o Poço Azul, cujo reflexo da água explica seu nome. Sua piscina natural formada por águas cristalinas e azuis nos convidam para curtir mergulhos inesquecíveis. Saída do atrativo as 16h00. Chegada em Carolina por volta das 18:00h. Noite livre


 4º DIA – COMPLEXO de PEDRA CAÍDA Após o café da manhã seguimos para um belo passeio ao Complexo Turístico de Pedra Caída onde visitaremos o Santuário de Pedra Caída.  Uma caminhada de cerca de 1000 metros sob trilhas em madeira suspensa para minimizar o impacto ambiental nos levam até a entrada do Cânion. Em alguns trechos caminharemos com água até os joelhos chegando ate a cintura. Esculpido em meio ao cerrado maranhense adentraremos pelo cânion, cujos paredões com água e vegetação chegam a atingir 50 metros, uma sucessão de paisagens magníficas. Mais alguns metros de caminhada e quando o percurso parece chegar ao fim surge uma fenda, espécie de portal mágico onde revela parte do Santuário, espécie de templo em formato piramidal formado pela ação da água sob o arenito friável há cerca de 60 milhões de anos, por onde cai uma cachoeira de 46 metros de altura. Euforia, calma e emoção são algumas sensações que afloram para definir a magia do lugar. Indescritível. Tempo para curtir, meditar e se reconectar com a natureza. A seguir iremos  a  Cachoeira da Caverna em veiculo 4×4 com percurso  7 km e mais uma caminhada leve, no retorno faremos uma parada para conhecermos e tomarmos banho na exótica Cachoeira da “Capelão”. Retorno para a Pousada por volta das 16h00h. Almoço no atrativo (não incluso). Noite livre


5º DIA – CAROLINA IMPERATRIZ (C) – Saída ate as 09:00h

O programa inclui:

– Traslado compartilhado para todos os nossos clientes – Imperatriz / Carolina / Imperatriz – Hospedagem com café da manhã – Todos os passeios citados em serviço regular compartilhados com acompanhamento de guia/motorista local – Seguro viagem para as atividades do roteiro – Brinde de boas-vindas – Deslocamento da pousada para o centro da cidade todos os dias – cortesia da pousada do Lajes –    Saída as 19h30 e retorno as 21h30

Como chegaríamos às 22 h na cidade, planejamos pernoitar em Imperatriz e seguir viagem para Carolina no dia seguinte. Assim fizemos saindo de lá dia 13 de agosto e chegando em Carolina as 15h, quase na fronteira com Tocantins.

Fizemos a nossa instalação, inicialmente, na Pousada Arara Azul, onde pernoitamos por dois dias, pois como havia um feriado em Belém (15/08 segunda-feira - Adesão do Grão-Pará à independência do Brasil) não havia mais quarto disponível na melhor pousada de Carolina, a Pousada do Lajes, nossa reserva. A pousada Arara Azul é simples, porém confortável. O melhor da hospedagem ficou por conta do banho no rio Lajes que passava no fundo da propriedade do hotel. Inesquecível o banho de rio!



A noite fomos comer uma boa pizza no Tio Pepe, no coração da cidade. Por lá se concentram as opções de comida de Carolina. Todas simples e saborosas. A melhor foi a Tribo do Crepe, também no centro. Depois descobrimos que o Gilmar dono da Cia do Cerrado e Pousada do Lajes, também é proprietário do Tio Pepe.





Começamos a desbravar a chapada no dia 14, domingo, conhecendo o Parque Nacional da Chapada das Mesas, que inclui as cachoeiras do Prata e São Romão, ambas no rio Farinha. Nosso guia da agência, Cia do Cerrado, foi o Wellington que conhecemos no dia anterior, já que ele também fez o nosso transfer vindo de Imperatriz. São 86 km de estrada de chão e somente de 4x4 é possível chegar às atrações. Esse foi o motivo de não termos alugado um carro e sim contratado uma agência. Após conhecermos a belíssima Cachoeira do Prata ficamos estarrecidos com a São Romão, pois ela é singular no Brasil. O diferencial da São Romão é a caminhada que podemos realizar por detrás da cachoeira. O volume da água é impressionante, ainda mais admirando-a de a um ângulo bem diferente do usual: praticamente dentro de uma caverna embaixo de uma imensa queda d'água e pasmem, cercado por andorinhas. Verdadeiro espetáculo!










No dia 15, segunda, após a troca de pousada e instalação no quarto 13 da Pousada do Lajes, fomos conhecer a Cachoeira do Cocal, nome oficial do balneário que engloba o Encanto, Poço Azul e a cachoeira de Santa Bárbara. Oziel foi o guia do dia. As atrações ficam distantes 122 km de Carolina, próximas ao município de Riachão- MA. Apenas 25 km são de terra, entretanto para fazer os 6 km entre o Poço Azul e Encanto Azul, é necessário um veículo 4x4. Chegamos cedo ao Encanto Azul e demos muita sorte pois não havia ninguém no local.







E como o próprio nome diz, é encantador! A água além de cristalina e com tons lindíssimos de azul, é morna, pois existem várias nascentes no poço. O Oziel nos emprestou o seu snorkel e aí sim fez a diferença. Podemos ver a clareza da água e a cor azul até o fundo do poço. Espetacular! Logo depois chegou uma turma grande e inconveniente de turistas. Até garrafa de cachaça eles portavam e bebiam. Porém, não conseguiram estragar o encanto do local.


De lá fomos para o complexo Poço Cristal:






Após o almoço, visitamos a cachoeira de Santa Bárbara com seus 76 m de pura emoção. Para chegar até a Cachoeira é preciso fazer uma caminhada bem tranquila sobre uma trilha suspensa construída em madeira. O caminho passa por uma área aberta com acesso a outras cachoeiras e mirantes perfeitos para contemplar a beleza da região. A Cachoeira Santa Bárbara se destaca das demais por suas características únicas: uma gigantesca pedra com formato peculiar parecido com o formato de uma santa:




Logo em seguida chegamos ao poço Azul e novamente com água morna das nascentes e tons azulados banhamos até o sol deixar de iluminar o poço. Para não se desencantar com o excesso de visitantes que costumam lotar o Poço Azul, procure chegar cedo ou evitar, na medida possível, finais de semana e feriados. Os tons azulados ficam mais intensos com a incidência de luz no interior dos poços. Por isso, programe-se para visitar o local nos horários de sol.



Na volta desse passeio maravilhoso pedimos para o Oziel deixar-nos no bar Chega + (dica do dono do nosso hotel), em frente ao rio Tocantins para contemplarmos o pôr-do-sol porque não tinha nenhuma nuvem no céu. E olha como fomos abençoados! Fim de tarde incrível com o meu amor!







Que espetáculo! Ainda mais porque do outro lado havia uma lua cheia incrível. Tudo regado a uma cerveja estupidamente gelada.


No dia 16, terça, foi o nosso dia de folga do pacote contratado. Com a ajuda do Wanderson, recepcionista da pousada, contratamos um táxi para levar-nos à cachoeira do Itapecuru, cerca de 30 km da pousada no sentido de Riachão. Pagamos 150 reais pelo trajeto de ida e volta, sendo que o motorista nos aguardou no local. A cachoeira de Itapecuru é bastante agradável já que tem uma boa infraestrutura no local para o banho. Saímos de ltapecuru cerca de 12:30 h e fomos almoçar no restaurante do Evaldo, um self service, indicado pelo taxista Sr Gilson, também no centro, com comida caseira e bem saborosa.






No dia 17, quarta, conhecemos o Portal da Chapada das Mesas e a cachoeira da Mansinha. Esta visita do pacote seria junto com Pedra Caída, porem dividimos em um outro dia para juntarmos com a Mansinha. Novamente guiados pelo Oziel, saímos 'as 8 h para conhecer o Portal. Bem próximo à estrada no sentido Imperatriz, cerca de 20 minutos da cidade, iniciamos a subida. Ainda bem que era cedinho e o sol ainda não estava cerca de quase 40 graus, temperatura comum para os dias que estivemos no Maranhão. A subida é dificultada por ser íngreme e com areia bem fofa, mas o visual da Pedra Furada é realmente deslumbrante. É o ícone da Chapada das Mesas!






Depois fomos para a cachoeira da Mansinha. Pequena, porém bem agradável, pois a água não é tão fria e nos permite ficar embaixo da queda da água. Além disso, achamos muito interessante, pois tem muitos camarões no fundo transparente da cachoeira! Nunca havíamos visto nada parecido! Na volta, fomos almoçar no restaurante Rio Lajes, em frente à Pousada. Comemos um Tambaqui frito delicioso. Peixe típico da região amazônica, o mesmo que saboreamos na fazenda da cachoeira São Romão. À noite comemos um crepe maravilhoso no centro da cidade, na Tribo do Crepe.





No dia 18, quinta, Dia fora da curva!!! Fomos para o complexo de Pedra Caída onde conhecemos as cachoeiras da Caverna, Capelão e o Santuário. Também fizemos a tirolesa do Desespero. Com o Wellington de guia saímos da pousada 'as 08:30 h para esse complexo que fica distante cerca de 30 minutos de Carolina, logo após o Portal da Chapada. Apesar de o complexo Pedra Caída ser caro já que além da entrada, 50 reais por pessoa, todas as atrações são cobradas individualmente e com preços nada módicos, variando de 25 a 70 reais cada, mesmo assim o atrativo é imperdível.



Começamos pela cachoeira da Caverna.

É um capricho do cerrado sul maranhense! Após atravessarmos uma caverna enorme nos deparamos com uma cachoeira lindíssima! Excelente local para banho cercado de verde e paredões de pedra. Inacreditável!




Logo em seguida fomos para a cachoeira do Capelão, também muito bonita com seus paredões pretos que a cercam e com um lugar para mergulho escavado dentro da cachoeira. Surreal!



Parada para almoço e saboreamos uma galinha caipira deliciosa. Em seguida fomos para o Santuário. Após atravessarmos um cânion bem estreito e incrivelmente bonito, chegamos à cachoeira.





Que show. As imagens das fotos aqui postadas não representam nem 10% da beleza irradiada no local. Elegemos o Santuário como uma das cachoeiras mais bonita do BRASIL! E olha que conhecemos algumas! Para completar ainda tinham três peixes enormes no lago em frente a queda. Graças a máscara de mergulho emprestada pelo Wellington, conseguimos até filmá-los.


E as emoções não paravam por aí. Faltava a tirolesa que como o nome diz, é desesperadora. Para subir ao topo do morro e curtir a aventura poderíamos subir a pé ou de teleférico. Optamos pela mais saudável: a pé. Claro que devido ao intenso calor paramos algumas vezes para recuperar o folego. Com seus 1400 m, segundo os instrutores, a maior tirolesa do país, realmente é excitante. Tentei até filmar a descida, mas acabei filmando o meu próprio corpo, pois a emoção era tamanha que não percebi que a câmera estava ao contrário.... hellloouuuuu. A Carla riu muito!!




No dia 19, sexta, celebramos o dia do nosso aniversário de união. E para materializar esse dia especial dei uma lembrança para o meu AMOR! Após o café da manhã retornamos ao complexo para conhecer o poço Sonrisal e as cachoeiras da Porteira e Garrote. Graças à intervenção do Oziel, que conhecia o gerente do complexo, não pagamos outros 100 reais de entrada, o que seria um descalabro, já que as atrações do dia pertencem ao proprietário, mas ficam fora do complexo Pedra Caída. São cachoeiras pequenas, porém agradáveis. O poço Sonrisal é cheio de bolhas e realmente parece que jogaram muitos "Sonrisal" dentro d'água. Faz até cosquinha...Uma delícia! Garrote e Porteira são ideais para banho, pois têm piscinas naturais e permitem que possamos ficar debaixo da queda d'água.






Como aproveitamos as férias de 10 dias da Carla, passamos todos eles viajando para a Chapada. Entretanto, se o seu tempo disponível for pequeno, sugerimos pelo menos três dias completos em Carolina e com certeza você contemplará os melhores atrativos da região. À noite gostaríamos de comer novamente o crepe, mas o mesmo estava fechado. Comemos um sanduíche no Espaço Gourmet e voltamos para a piscina do hotel a fim de comemoramos nosso aniversário com um espumante Mumm. Que delícia! E a lua cheia estava prestigiando o nosso evento. Dando aquele brilho especial da mesma maneira que deu em Parati. Inesquecível!





No dia 20, sábado, regressamos para Imperatriz com os donos da Cia do Cerrado, muito simpáticos. Não poderíamos deixar de mencionar os funcionários Wellington e Oziel. Excelentes, assim como foram os atendentes da pousada do Lajes. Almoçamos na Cabana do Sol, dica do Gilmar. Descobrimos que este é a matriz e os que de São Luís são filiais. Muito boa a carne de sol e o pastel com geleia de pimenta. Até compramos um pote da geleia para trazer. Outra dica dele foi a sugestão de visitar Angiquinho, a primeira usina hidrelétrica do Nordeste. Assim fizemos na nossa próxima viagem e para saber mais, veja nosso post Cânions do Xingó, onde comentamos essa atração turística imperdível. Curtimos a academia e a piscina do hotel em Imperatriz.

Finalizamos a viagem decolando para o Rio 'as 16:55 h do dia 21 e chegamos ao aeroporto Santos Dumont 'as 22:30h, após conexão em Brasília. Na bagagem mais uma coleção de excelentes lembranças e mais de 500 fotos. Na nossa opinião, este é o melhor complexo de cachoeiras do Brasil, pois não são tão volumosas mas são peculiares e únicas. Impressionante que muitas delas não são vistas da superfície já que ficam em um nível mais baixo. Então, aproveite e faça como nós, vá e desfrute dessa maravilha que a natureza nos proporciona. Até a próxima aventura!

Comments

Rated 0 out of 5 stars.
No ratings yet

Add a rating
Post: Blog2 Post
bottom of page