top of page

Fortaleza de São João - Urca - RJ



Gostaria de conhecer o local onde foi inaugurada a Cidade Maravilhosa? Neste post mostraremos este local em um passeio imperdível, que fica dentro da Fortaleza de São João, na orla da Baía de Guanabara.


O Forte de São João, como também é conhecido, fica localizado no Bairro da Urca. Da mesma maneira que o passeio pelo Forte do Leme, também postado aqui no blog, você poderá curtir um local com muita história e lindas vistas. Tudo isso gratuito e em um local bem tranquilo e seguro. Mapa abaixo:



Existe uma área de estacionamento para os visitantes na Praia de Fora, ao lado do campo de futebol. Como as instalações do Forte ficam dentro de um complexo de instituições militares, como a CCFEX (Centro de Capacitação Física do Exército) e a ESG (Escola Superior de Guerra), além de uma Escola Municipal, que recebe o nome do fundador da cidade, será necessário agendar a visita:

Horários disponíveis: Manhã: 09:00 h – Tarde: 13:30 h

► WhatsApp: (21) 9 7295-5891



A visita é guiada por um militar e tem duração média de 2h30 com um trajeto total de aproximadamente 2.500 metros. Começa no Museu do Desporto do Exército, criado em 2004.

Quando visitamos o Forte, nosso grupo era de três pessoas no total. A missão do museu é de perpetuar e divulgar os feitos desportivos dos atletas militares e de personalidades que fizeram parte dessa trajetória.



Seguimos então para a Praça da Fundação. Ela foi criada em homenagem aos fundadores da cidade e data de 1914.





Mesmo que esse não seja o marco zero oficial da cidade, pois o oficial é no Morro do Castelo (fisicamente não existe mais), foi aqui entre o Morro Cara de Cão e o Morro do Pão de Açúcar, que no dia 1º de março de 1565 foi fundada a cidade, na época chamada de São Sebastião do Rio de Janeiro. Nome dado em homenagem ao rei-menino de Portugal e ao santo de mesmo nome, que se tornou padroeiro da cidade.


Atualmente o marco da cidade encontra-se na Rua Hadock Lobo, onde fica a Igreja de São Sebastião, também conhecida como "Igreja dos Capuchinhos".

A fortaleza foi construída no contexto da expulsão dos franceses da Baía de Guanabara, região estratégica que era ocupada desde 1555 e chamada de França Antártica.

A conquista do território aconteceu com a chegada de cerca de trezentos homens liderados pelo Capitão-Mor Estácio de Sá. Ele se tornou o primeiro governador da capitania do Rio de Janeiro e é o marco do início da colonização portuguesa no Brasil, com a instalação do Brasão da Coroa Lusitana.

Esse lugar histórico é composto por três fortins (pequenos fortes): São Martinho, São Teodósio e São Diogo, que foram sendo construídos desde 1565 para defender a cidade.

Ruínas de uma das muralhas, abaixo:



O Fortin São Martinho foi a base do confronto com os franceses. Após dois anos, na batalha de Uruçumirim, no Morro da Glória, o invasor é finalmente expulso do Rio de Janeiro. Foi nessa batalha, que Estácio de Sá foi mortalmente ferido. O fundador da cidade levou uma flecha envenenada no rosto e morreu um mês mais tarde.

Por ordem de Mem de Sá (terceiro governador-geral do Brasil), o núcleo de povoamento, antes na Fortaleza, foi transferido para o Morro do Castelo. O Fortin ou reduto de São Martinho foi reforçado com a adição da bateria ou reduto de São Teodósio em 1572, sobre a ponta de mesmo nome (foto do local mais abaixo).

Seis anos mais tarde, em 1578, foi construída uma grande fortificação, o Forte de São José, o terceiro mais antigo do Brasil. Com a conclusão do reduto de São Diogo (24 de junho de 1618), o complexo finalmente ganha o nome de Fortaleza de São João (FSJ). Juntamente com a Fortaleza de Santa Cruz da Barra, do lado oposto da baía em Niterói (veja o nosso post sobre essa Fortaleza) e ainda, com o Forte Tamandaré da Laje, que fica numa ilha entre as duas fortalezas (atualmente esse Forte não recebe visitas), tornavam praticamente intransponível a entrada de navios pela Baía de Guanabara.

Google maps e uma foto que tiramos de São João, destacando a ilha e a outra fortaleza citadas:




Durante o Império, foi construído um conjunto de 17 casamatas de pedra lavrada, com 1.40m de espessura, encimado por parapeito de granito e complementado por um grande paiol em forma de abóbada (site FSJ):






Após a Praça da Fundação, passamos pelo portão histórico, talvez o mais antigo portão preservado da arquitetura colonial militar no Rio de Janeiro e que está tombado pelo IPHAN (foto abaixo) e seguimos pela estrada D. Pedro II (primeira estrada pavimentada da cidade) contornando o Morro Cara de Cão até o Forte.




Antes de alcançar o Forte propriamente dito há uma parada no reduto São Teodósio, onde é possível observar os canhões revitalizados:





Finalmente chegaremos ao Forte São João e seu Museu Histórico, que conta um pouco mais sobre as condições que ocasionaram a descoberta do Brasil.

Fala ainda sobre a colonização, a vinda da Família Real e a independência do Brasil.

Cabe ressaltar, algumas preciosidades como bandeiras do Brasil que foram utilizadas antes da versão atual e também um enorme mural mostrando a localização de todos os fortes e fortalezas que defendiam a cidade.









Não se esqueça de levar água, porém o local conta com dois quiosques que vendem lanches (um na praia de dentro e outro na praia de fora), além de banheiros no Museu do Desporto.

Gostou? Então visite e "have fun"!

3 Comments

Rated 0 out of 5 stars.
No ratings yet

Add a rating
gas5047
Aug 02, 2022

Um beleza estes Forte. Pretendo visitar assim que for possível.

Essa história é nossa.

Like
Joao Belo
Joao Belo
Jan 23
Replying to

Isto mesmo. Vale muito a pena conhecer os nossos Fortes e Fortalezas!

Like
Post: Blog2 Post
bottom of page