top of page

Moalboal, Cebu - Filipinas



Em mais uma de nossas aventuras por este mundão tão cheio de novidades para se explorar, praticamente acabamos de voltar de uma viagem de 13 dias pelas Filipinas. Realizávamos enfim uma viagem pretendida desde 2017, quando fizemos um mochilão pelo Sudeste Asiático. Naquela época seria o último país a ser visitado após 4 meses na estrada. Desistimos justamente por conta disso, muito tempo viajando...saudade dos filhos e decidimos voltar para a nossa terra natal.

Para essa viagem em 2024 até aproveitamos aquele planejamento inicial de 15 dias, com algumas adaptações.


O país é demais, muito lindo! Natureza exuberante, com águas cristalinas de deixar qualquer um de queixo caído. O mar é riquíssimo em corais, peixes e navios afundados na II GM, parece até que a gente está dentro de um documentário da Nat Geo. Pra arrematar tem um povo humilde, amável, acolhedor e sorridente! Razões de sobra para que nos encantássemos pelo país, apesar da péssima infraestrutura da maioria dos locais que visitamos. Quer saber mais sobre como planejamos, curtimos e caímos em algumas furadas nesta ‘trip’? Vem conosco! Este post e os demais sobre as Filipinas lhe ajudarão no que você precisa saber antes de planejar a sua viagem para um dos países que seguramente vc não se arrependerá de visitar, pois está entre os de maior beleza natural do planeta.



Vale a pena ressaltar como primeiro passo para o seu planejamento criar um itinerário de viagem às Filipinas. Embora possa parecer não tão grande no mapa, o país tem mais de 7 mil ilhas, onde se falam pelo menos 120 idiomas e dialetos diferentes. As distâncias entre a maioria das ilhas paradisíacas são grandes, então você precisará fazer voos internos ou longos passeios de balsa para se locomover entre elas. A infraestrutura como disse, não ajuda e as viagens são demoradas. Como exemplo, levamos quase quatro horas para percorrer apenas 100 km entre o aeroporto de Cebu (Mactan) e Moalboal.


Para se deslocar dentro das cidades são comuns os Jeepneys, "ônibus" feitos com os jeeps abandonados no país pelos americanos, depois da Segunda Guerra.



Outros meios de transporte muito comuns nas ilhas são os tuk tuk e os triciclos, que são bem coloridos, estilizados e rebaixados ou simplesmente uma moto com um carrinho do lado.








Uma visão geral das ilhas abaixo:



Sendo assim, este deslocamento (do aeroporto de Cebu para Moalboal) acabou "comendo" o nosso primeiro dia de viagem e estávamos no bagaço devido ao longo dia de viagem. Nossa trip começou em Nha Trang (Vietnã) onde moramos e aproveitamos o feriado nacional do Tet (ano novo lunar) para assistirmos o show do Coldplay em Bangkok, no dia 04 de fevereiro de 2024. Data memorável e especial por ser o dia do aniversário do meu enteado Bruno e também pela felicidade de podermos realizar um sonho, curtindo essa banda tão incrível.

Até havíamos comprado ingressos para vê-los no Rio de Janeiro, mas pintou a oportunidade de virmos para o Vietnã e não pudemos ir ao show na nossa querida terrinha. Entretanto, o destino escreve certo por linhas tortas e este clip resume um pouquinho das nossas emoções:



 

Dia 1: Chegando a Cebu

Nosso voo partiu de Bangkok às 12h00min do dia 05 de fevereiro com destino a Mactan, aeroporto de Cebu, via Manila. Porém, a nossa jornada começou no dia anterior, pois o show acabou em torno de 22h e para voltarmos para o hotel foi uma LOUCURA! Havia obras nas ruas do entorno do estádio, então imagine 70 mil pessoas saindo ao mesmo tempo. Após caminharmos quase 30 minutos em meio à multidão, enfim conseguimos uma moto taxi e lá fomos nós na garupa. Sim, os três na mesma moto! Enfim, descansamos e no dia seguinte embarcamos pra Cebu. Aproveitamos a conexão na capital das Filipinas e compramos os chips de telefone para 15 dias na operadora Smart.



Como chegaríamos de noite em Cebu e estávamos com o tempo contado no país, nós fomos direto pra Moalboal. Contratamos pela internet o serviço do Rayan, cujo instagram é @rayandmib (número do tel - 09167931793). Combinamos o preço de 7200 pesos (130 USD) pelo trajeto de ida e volta.

Nossa programação inicial de dois dias na cidade seria:


Primeiro dia - Island Hopping na Pescador Island, nadar com tartarugas e sardinhas pela manhã e depois a canoagem em Kawasan falls;

Segundo dia - nadar com tubarão baleia em Oslob.


Chegamos ao hotel Pescadores Suites Moalboal, em Panagsama Beach, quase à meia – noite e depois desta maratona de viagem tivemos que adaptar o nosso roteiro, alternando o passeio do primeiro para o segundo dia e cancelando a ida a Oslob. Por dois motivos: São quase 3 horas de deslocamento só de ida entre Moalboal e Oslob (vide mapa), em vias precárias e pior, para chegar a tempo de nadar com os tubarões tem que sair às 4h da matina do hotel. Decidimos então alugar uma moto, ir ao mercado e depois conhecer a White Beach neste dia.



A Ilha de Cebu não é tão famosa quando comparada a destinos famosos nas Filipinas como El Nido e Coron, que ficam na ilha de Palawan. Mas mesmo assim tem paisagens incríveis que VALEM A PENA visitar. Tem praias lindas como essa que visitamos, a White Beach. Tem lugares onde somente usando snorkel você poderá ver tubarões baleia, tartarugas enormes e cardumes de milhões de sardinhas a poucos metros da praia, bem poucos metros mesmo. Essa foi a razão pela qual escolhemos o hotel acima citado.

Além disto, se você gosta de cachoeiras exuberantes e um pouco de aventura, então soma-se tudo e Moalboal passa a ser um destino bem interessante para vc explorar.


O hotel Pescadores é razoável, com quartos simples e com os fundos para o mar, sendo uma opção de custo moderado para ficar em Moalboal. Não gostamos do café da manhã. Tínhamos que escolher uma opção (combo) de apenas três, no menu. Pedi cereal e me cobraram a parte. A única vantagem, em nossa opinião, é de ver as sardinhas e tartarugas no quintal de casa. Pena que deixamos para fazer isso (o mergulho de snorkel) no segundo dia em frente ao hotel, mas não deu... e vc irá entender o motivo.





Dia 2: White Beach

Esta praia fica em torno de 20 minutos de moto da Praia de Panagsama. É um ótimo lugar para curtir e nadar em águas cristalinas. Não demos muita sorte, pois estava um dia nublado.   

Existem alguns bares e restaurantes ao longo da praia, para que você possa comer e beber alguma coisa com os pés na areia. Olha nós ai curtindo uma cerva local, São Miguel, na água:

Ao chegar à praia é necessário pagar uma taxa de 20 pesos filipinos por pessoa.



Dia 3: Island Hopping na Pescador Island, nadar com tartarugas e sardinhas pela manhã e depois a canoagem em Kawasan falls

Contratamos o tour privado abaixo com o Josh (Whatsapp: +63 927 366 0732) da Moalboal Turtles and Sardines ao preço de 100 dólares por pessoa.



Foi intenso!

Começamos o passeio de barco visitando a Ilha do Pescador, que fica no Estreito de Tañon, não muito distante de Moalboal e fizemos um snorkel avistando alguns corais e peixes, mas a visibilidade da água não estava tão boa quanto aos demais mergulhos que fizemos no país. Alugar o barco foi uma boa escolha, pois na volta para a cidade avistamos um cardume de sardinhas e uma enorme tartaruga, isto porque eles sabem o ponto certo de onde encontrá-las. As tartarugas ficam bem perto da praia, praticamente no raso, já o cardume fica perto também só que existe uma paredão onde o oceano se aprofunda e as centenas de sardinhas ficam ali. Um espetáculo!



Uma das principais atividades em Moalboal é fazer o ‘canyoning’ nas Cachoeiras de Kawasan. Era a segunda parte do nosso tour. Kawasan possui algumas das águas mais bonitas que já vimos – garantimos que as fotos não são photoshopadas, hehe!  São cercadas por uma floresta exuberante e cor da água azul turquesa. É do tipo que só vimos raras vezes, como nas geleiras da Nova Zelândia, por exemplo. Lemos que são conhecidas como “azul Gatorade” e faz sentido.

‘Canyoning’ é descer o rio seguindo o curso da água, só que sem canoa. Então você acaba andando muito, muito mesmo. Uma boa parte dentro da água, além de pular em cachoeiras, de 1 até 10 metros. Tudo é feito com colete salva-vidas e você não precisa saber nadar. Foi uma das atividades mais legais que fizemos em toda a viagem pelas Filipinas. É um passeio cheio de adrenalina. A começar pela tirolesa. Assim que a gente chega ao ponto inicial da trilha, existem duas opções para se chegar ao rio. Uma delas é caminhando cerca de 40 minutos em um aclive. A outra é a tirolesa. Claro que optamos pela segunda e foi um barato total, fazer um ‘zipline’ pela primeira vez em dupla com a minha amada esposa. 







Todo o percurso (incluindo a tirolesa) demora em torno de 5h e é realizado com guia. No nosso caso, foram dois. Um guia era do tour privado e o outro do local. Lembramos com carinho deles, pois nunca fomos tão filmados e fotografados quanto por esta dupla. Um dos nomes dos nossos guias jamais esqueceremos: Jesus!

Aqui vai outra curiosidade sobre o país: É a terceira maior população católica do mundo, atrás do Brasil e México. No Sudeste Asiático, somente as Filipinas e o Timor Leste são países de maioria católica. Fomos almoçar quase 3 da tarde moídos de cansaço e fome. Mas valeu muuuuito a pena todo o esforço.



Chegamos ao hotel sem disposição nenhuma para cair no mar, novamente, revelando o motivo que eu havia dito anteriormente por não conhecer o mar em frente ao hotel.

Até décadas atrás, as Filipinas eram consideradas como “o doente do sudeste asiático”, devido ao seu péssimo desempenho social e econômico (As Filipinas ficaram em 116º lugar entre 191 países, três posições abaixo do 113º lugar anterior de 2021, no último Índice de Desenvolvimento Humano IDH do Programa das Nações Unidas para o Desenvolvimento). Todavia, melhorias significativas têm sido realizadas no país, deixando a fama de doente para trás e se tornado um paciente em recuperação. Longe dos demais tigres asiáticos, especialmente Singapura e Coréia do Sul, (https://pt.wikipedia.org/wiki/Tigres_asi%C3%A1ticos).


Vimos sinais desta retomada social e econômica, por exemplo, na cidade de Cebu. Saindo do aeroporto, passamos por shoppings e pontes de primeiro mundo. Por todo o nosso itinerário vimos muitas, muitas escolas e um dos nossos guias falou que o inglês faz parte do ensino fundamental. Fala-se bem este idioma por lá.


Finalizando este post, perguntamos a um guia sobre o governo e o mesmo comentou que um sério problema é a corrupção e as castas politicas. Infelizmente conhecemos bem este assunto, não é mesmo?


Dia 4: Ida para Boracay

Acompanhe-nos no próximo post em Boracay, uma das ilhas mais famosas das Filipinas. Um destino que exportou a imagem do país como tendo uma das melhores praias do mundo, verdadeiro paraíso tropical, rodeado de águas claríssimas e areia bem fina e branquinha. Foi o lugar preferido da Carla! See u!

 

 

2 comentarios

Obtuvo 0 de 5 estrellas.
Aún no hay calificaciones

Agrega una calificación
Joao Belo
Joao Belo
20 mar
Obtuvo 5 de 5 estrellas.

Wowww. Increible mi amorrrr

Me gusta
Contestando a

Obrigada e continue nos seguindo para mais aventuras!😍

Me gusta
Post: Blog2 Post
bottom of page